Cachoeiras de Pirenópolis

As cachoeiras de Pirenópolis encantam os turistas que chegam ao interior de Goiás em busca de dias de descanso e maior contato com a natureza. A grande oferta de quedas d’água facilmente acessíveis faz de Pirenópolis o destino ideal para toda a família. A maioria das cachoeiras da região pode ser visitada tranquilamente, sem grandes trilhas a serem percorridas. Muitas delas têm infraestrutura completa, com trilhas pavimentadas, restaurante, lanchonete, banheiro, redário e até piscina para curtir depois do banho gelado. Pirenópolis é um destino que alia bem a natureza à boa infraestrutura. Se o que você busca é um bom banho de cachoeira, mas não necessariamente quer fazer trekkings ou se aventurar em trilhas difíceis, Piri é o seu lugar!

Pirenópolis tem mais de oitenta cachoeiras catalogadas, muitas delas abertas à visitação. A notícia ruim é que, para visitá-las, será necessário fazer trajetos de carro, muitas vezes por estradas de terra e com condições ruins. O fácil acesso é quase sempre da porteira da propriedade para dentro. Já nas estradas, a história muda um pouco. Esteja preparado para alguns sacolejos, muita poeira no período da seca e um pouco de lama no auge das chuvas. Nada que não possa ser encarado como diversão e aventura. O carro é de fundamental importância para conhecer as cachoeiras, já que não há transporte público que leve às atrações. Quem estiver sem carro poderá contratar uma das agências de turismo para fazer os passeios. Nesse caso, o custo será alto: um tour de um dia dificilmente custará menos de R$ 180 por pessoa. Veja mais sobre como se locomover em Pirenópolis.

É importante dizer que as cachoeiras mais visitadas de Pirenópolis estão todas em área particular e a cobrança de ingresso é comum a todas elas. Os preços variam de R$ 20 a R$ 40 por pessoa (há desconto para crianças e idosos) e o valor depende muito do número de cachoeiras na propriedade e da infraestutura oferecida pelo local. Esteja com o orçamento preparado! A depender do número de cachoeiras visitadas e do tamanho da família, o custo será alto. Vale dizer que são poucas as cachoeiras que aceitam cartão de crédito para o pagamento da taxa de visitação. Leve dinheiro para não perder a viagem.

As cachoeiras de Pirenópolis podem ser visitadas durante todo o ano, mas alguns fatores podem influenciar bastante na experiência e no cenário da cachoeira. Pirenópolis tem o clima definido por uma estação seca e outra chuvosa. Para ver as cachoeiras com bastante água, mas sem chuva, o ideal é visitar Piri nos meses de maio, junho e julho, quando a seca ainda não afetou tanto o volume de água, as cachoeiras estão lindas e dificilmente haverá chuva. De agosto a setembro, o volume de água já será menor e as quedas podem não ser tão exuberantes. Com a volta das chuvas em outubro, as cachoeiras ganham volume novamente. As chuvas atingem o auge nos meses de dezembro e janeiro, período que coincide com o verão. As cachoeiras estarão lindas, mas o risco de um temporal é sempre presente. Veja mais sobre quando ir a Pirenópolis.

Outro fator que influencia bastante a experiência dos turistas nas cachoeiras é a alta temporada. Pirenópolis é o tipo de destino que lota nos finais de semana, especialmente se a previsão é de sol. Com isso, dias de sábado e domingo costumam ter cachoeiras cheias durante todo o ano. Se quiser visitar Piri com pouca gente, o ideal é viajar para a região de segunda a sexta-feira, quando as cachoeiras estarão bem mais vazias, especialmente se for fora das temporadas de férias escolares. Ah! Feriados prolongados costumam lotar ainda mais a cidade. Se você só pode viajar na alta temporada, procure cachoeiras mais distantes e com acesso por trilhas mais longas. Essas sempre ficam mais vazias se comparadas às que estão próximas do centro e não exigem que os turistas percorram trilhas para chegar até elas.

Duas estradas principais concentram grande parte das cachoeiras abertas à visitação em Pirenópolis: a Rodovia Parque dos Pireneus e a GO-338. Ao percorrer cada uma delas, você verá diversas opções de cachoeiras para passar o dia. O ideal, para não perder tempo demais em deslocamento, é casar duas ou três atrações na mesma estrada para visitar durante o dia. Quanto menos tempo na estrada, mais tempo nas cachoeiras, claro!

A Rodovia Parque dos Pireneus é toda de terra e o trajeto é cheio de ondulações, com diversos trechos de areia. Não se iluda com as curtas distâncias. O percurso vai demorar um pouco mais que o esperado. Entre as cachoeiras de destaque nessa estrada, vale conferir o complexo turístico da Cachoeira do Abade; a Reserva Ecológica Vargem Grande, onde estão a Cachoeira do Lázaro e a Cachoeira Santa Maria; o conjunto da Cachoeira do Coqueiro e Cachoeira Garganta; e também a Cachoeira Usina Velha e Cachoeira Meia Lua, as duas bem próximas uma da outra.

A rodovia GO-338, diferente da Rodovia Parque dos Pireneus, é asfaltada e oferece acesso mais rápido à entrada para as cachoeiras. Entretanto, o acesso a cada uma delas sempre exige um trecho final em estrada de terra, que, em alguns casos, pode ser bem longo. Para quem está na GO-338, boas pedidas são: As Cachoeiras dos Dragões (as mais distantes da rota); a Cachoeira do Rosário; o complexo turístico da Cachoeira Paraíso, com visita também à Cachoeira do Lobo; e a mais fácil de todas, a Cachoeira das Araras, acessível a todas as idades e também a pessoas com dificuldade de locomoção.

Fora da rota das duas rodovias, vale conferir outras cachoeiras em Pirenópolis. Bem pertinho do centro, as Cachoeiras Bonsucesso estão entre as prediletas de quem não deseja pegar muita estrada. Já o complexo turístico do Santuário de Vida Silvestre Vagafogo agrada a quem busca diversas atividades em um só lugar, com direito a esportes de aventura e pequenos poços para banho. Para quem está a caminho de Brasília, vale parar no complexo do Salto do Corumbá, onde a cachoeira é deslumbrante e há diversas atividades para adultos e crianças.

Apesar de essas cachoeiras serem as mais conhecidas e procuradas entre os turistas, há outras opções em Pirenópolis. Percorrendo as estradas, será fácil ver diversas placas indicativas para outras quedas d’água. Sugerimos começar pelas que estão aqui, mas você certamente encontrará outros belos cenários durante a viagem. Veja abaixo mais detalhes sobre cada uma das cachoeiras que visitamos. 

  • Cachoeira-das-araras

    Cachoeira das Araras

    Nota:  de 10 (0)

    A Cachoeira das Araras, além de ter um lindo poço para banho, se destaca entre as atrações de Pirenópolis pela boa acessibilidade, que inclui até mesmo rampa para cadeirantes que chega até água. A Cachoeira das Araras oferece infraestrutura bem completa e conta com restaurante, banheiros, lanchonete, parquinho, mesas...

  • Cachoeira-do-coqueiro-e-cachoeira-garganta

    Cachoeira do Coqueiro e Cachoeira Garganta

    Nota:  de 10 (0)

    A Cachoeira do Coqueiro e a Cachoeira Garganta são pedidas excelentes para quem busca fácil acesso, mas não quer ambientes muito cheios, especialmente aos finais de semana. Localizadas na estrada que leva à Cachoeira do Abade e à Cachoeira do Lázaro, as duas cachoeiras fazem parte da mesma propriedade e o ingresso inclui ambas as...

  • Cachoeira-do-lazaro

    Cachoeira do Lázaro

    Nota:  de 10 (0)

    Com poço raso e linda queda d’água, a Cachoeira do Lázaro é boa pedida para quem tem medo de lugares com grande profundidade de água. Na Lázaro, o poço não ultrapassa 1,50 m, o que permite que grande parte dos turistas circulem e andem até a cachoeira sem precisar nadar. Ao lado da cachoeira principal,...

  • Cachoeira-do-rosario

    Cachoeira do Rosário

    Nota:  de 10 (0)

    A Cachoeira do Rosário se tornou um reduto de descanso para o dia todo em meio às atrações de Pirenópolis. Quem visita o local conta com excelente infraestrutura, o que permite curtir sem pressa de ir embora. Por lá, há um delicioso restaurante de comida regional, redários convidativos à soneca, muitas mesinhas...

  • Cachoeira-do-salto-do-corumba

    Cachoeira do Salto do Corumbá

    Nota:  de 10 (0)

    Apesar de não estar localizada exatamente em Pirenópolis, a Cachoeira do Salto Corumbá está a poucos quilômetros da cidade e vale esticar o passeio até lá. Para quem vai a Piri saindo de Brasília, uma das rotas até a cidade passa por Corumbá, o que já facilita o passeio, que pode ser feito na ida ou...

  • Cachoeira-e-reserva-do-abade

    Cachoeira e Reserva do Abade

    Nota:  de 10 (0)

    A Cachoeira do Abade é uma das mais belas de Pirenópolis. Com 22 m de queda e um lindo poço cercado de areia e com diferentes tons de verde, essa cachoeira se tornou uma das opções prediletas dos turistas que visitam Piri. Localizada às margens da nascente do Rio das Almas, a Reserva do Abade conta ainda com diversas outras quedas...

  • Cachoeira-meia-lua

    Cachoeira Meia Lua

    Nota:  de 10 (0)

    O bucólico cenário que cerca a Cachoeira Meia Lua é capaz de acalmar até o mais estressado dos turistas. A sequência de quedas d'água passando pelas pedras em zigue-zague forma um visual espetacular. Difícil não ficar hipnotizado observando o contorno das águas na corredeira que forma o rio. Escolha a sua...

  • Cachoeira-paraiso-e-cachoeira-do-lobo

    Cachoeira Paraíso e Cachoeira do Lobo

    Nota:  de 10 (0)

    O complexo turístico da Cachoeira Paraíso é um dos melhores de Pirenópolis para quem busca relaxar com infraestrutura para curtir o dia todo. No espaço, há duas cachoeiras e ambas ótimas para um banho. A cachoeira com acesso mais fácil é a Cachoeira Paraíso, localizada a poucos metros do restaurante da...

  • Cachoeira-santa-maria

    Cachoeira Santa Maria

    Nota:  de 10 (0)

    A Cachoeira Santa Maria é daqueles lugares onde dá vontade de chegar e ficar o dia todo. E o melhor de tudo é que o acesso é muito fácil! A partir do estacionamento, serão apenas 500 m de caminhada em trilha totalmente pavimentada. Excelente opção para quem tem dificuldade de locomoção ou está com...

  • Cachoeira-usina-velha

    Cachoeira Usina Velha

    Nota:  de 10 (0)

    A Cachoeira da Usina Velha é formada por diversas pequenas quedas d’água e poços que agradam a quem busca um banho de rio bem fácil. A maior queda tem apenas dez metros de altura e é formada pela construção da antiga usina que havia na região. Todas as pequenas quedas são facilmente acessíveis e...

  • Cachoeiras-bonsucesso

    Cachoeiras Bonsucesso

    Nota:  de 10 (0)

    A trilha que leva à Cachoeira Bonsucesso também leva os turistas direto para o universo das fazendas do interior de Goiás e dos tempos em que a região era dedicada à exploração de ouro. Chegar a essa bela queda d’água envolve passar em meio a uma propriedade repleta de galinhas, vacas, cavalos e galos cantantes,...

  • Cachoeiras-dos-dragoes

    Cachoeiras dos Dragões

    Nota:  de 10 (0)

    O clima tranquilo que cerca a região onde estão as Cachoeiras dos Dragões tem explicação: as quedas d’água estão localizadas dentro de uma propriedade onde funciona o Mosteiro Zen Eisho-Ji. Ainda na cancela de entrada, é possível ver que se trata de um reduto cercado de paz, onde até silêncio...

  • Santuario-vagafogo

    Santuário Vagafogo

    Nota:  de 10 (0)

    O Santuário Vagafogo é uma grande reserva particular que promove a educação ambiental de gerações futuras. O amplo espaço, pertinho do centro de Pirenópolis, alia o ecoturismo a roteiros educativos e é uma boa pedida para quem busca passeios com mais conteúdo e não apenas belos cenários....

Tudo que você precisa saber sobre Pirenópolis!

Esse texto sobre Cachoeiras de Pirenópolis faz parte do guia de Pirenópolis no Melhores Destinos

Comentários para Cachoeiras de Pirenópolis

Para comentar você precisa se cadastrar ou fazer login.