Torres del Paine

Dicas da Patagônia Chilena

DINHEIRO: A moeda local é o peso chileno (CLP). O dólar é aceito apenas em atividades turísticas. Caixas eletrônicos são encontrados apenas em Puerto Natales.

- No Chile, as gorjetas são de 10% em restaurantes. Não é comum a gorjeta para taxistas, porém, nos passeios, é provável encontrar caixinhas de gorjeta para os guias.

- Caixas eletrônicos e casas de câmbio são encontradas no aeroporto de Punta Arenas e também em Puerto Natales. Cartões de crédito e débito são bem aceitos nas cidades e em pontos turísticos. No Parque Torres del Paine não há caixas eletrônicos e cartões não são aceitos; por isso, é sempre bom ter a moeda em mãos.

ELETRICIDADE: A rede elétrica é 220V e as tomadas são de duas e três pontas redondas (estilo europeu).

VESTUÁRIO E ACESSÓRIOS: Roupas de frio são importantes durante todo o ano. O clima na Patagônia é imprevisível; esteja preparado para tudo. Capa de chuva e botas especiais de trekking são bem-vindas. Gorro e luva devem sempre estar na mochila.

- Não deixe de levar protetor solar, hidratante labial e óculos escuros. No inverno, a pele fica ressecada e pode queimar com o frio. No verão, o óculos escuros e o protetor solar são essenciais para os passeios.

SEGURANÇA: A região da Patagônia tem baixíssimo índice de criminalidade. Dificilmente são registrados furtos, roubos ou ocorrências mais graves.

COMUNICAÇÃO: A internet banda larga é comumente encontrada nas grandes cidades e nos hotéis. Os telefones celulares funcionam através de operadoras locais.

SAÚDE E VACINAS: Não há vacinas exigidas para a entrada no Chile. O clima frio ajuda a reduzir o risco de doenças. Não esqueça remédios para os efeitos da gripe e para dores de garganta; o frio pode não ser um aliado nesta hora.

FUSO HORÁRIO: De março a setembro: -4 GMT; de setembro a março: -3 GMT (o mesmo do Brasil).

IDIOMA: A língua oficial é o espanhol, mas o inglês é comumente falado em ambientes turísticos.

VISTO: Brasileiros não precisam de visto para entrar no Chile. Passaporte e carteira de identidade – em bom estado e com menos de 10 anos de emissão – são aceitos para a entrada no país.

GERAIS:                                                                            

- Tomar whisky com gelo glacial, “pescado” na hora, é uma experiência altamente patagônica. Se não for fã da bebida, experimente o Pisco Sour, ou qualquer outra; afinal, a estrela é o gelo!

- Não é preciso se hospedar em hotéis de luxo para aproveitá-los. Muitos oferecem almoço, jantar, Day Spa e outros serviços para quem não é hóspede.

- Jamais esqueça a câmera fotográfica. Sim! Nem quando sair apenas para jantar. Tudo na Patagônia rende uma bela imagem. Os ambientes, a comida, os drinks... e você nunca sabe quando pode dar de cara com o voo de um condor, com uma ovelhinha charmosa ou apenas com uma paisagem emoldurada pela janela do hotel. Não deixe para depois a foto que você poda fazer agora. O tempo muda rápido. Em 5 minutos, aquela vista das Torres del Paine já pode estar encoberta pela neblina.

- Durante os passeios, não há muito o que comprar. Se passar em uma lojinha e adorar aquele artesanato local, compre! Na volta, o caminho quase sempre não é o mesmo.

- Não sabe quantos dias ficar na Patagônia? Quatro noites é um bom tempo para conhecer bem a região. 

Tudo que você precisa saber sobre Torres del Paine!

Esse texto sobre Dicas da Patagônia Chilena faz parte do guia de Torres del Paine no Melhores Destinos

Comentários para Dicas da Patagônia Chilena

  • Missing José Moisés Grandi há quase 6 anos

    Um ponto turístico excelente para compras em Punta Arenas e muito pouco difundido é a Zona Franca lá existente. É enorme e oferece uma grande quantidade de produtos com preços muito atrativos.

Para comentar você precisa se cadastrar ou fazer login.