Melhores Destinos
Jéssica Weber Jornalista apaixonada por mato e praia, interessada na história dos lugares, na arquitetura das cidades e em comida, é claro.

Punta Walichu

Punta Walichu, ou Cuevas de Walichu, é um sítio arqueológico localizado em El Calafate, na Patagônia Argentina. Tem pinturas rupestres em paredões de pedra e pequenas grutas à beira do Lago Argentino, aliando história a uma bela mostra das paisagens dessa região.

O sítio preserva pinturas originais feitas por povos Tehuelche entre 3 e 4 mil anos, além de expor réplicas de arte rupestre. Você pode optar entre a visita com um guia ou audioguiada. Leva uma hora para fazer o percurso inteiro. 

Um passeio famoso que inclui as Cuevas de Walichu é o Nativo Experience. Vendido por agências da cidade, ele culmina em uma refeição em uma gruta. Mas acaba saindo bem mais caro do que visitar o sítio arqueológico diretamente. 

Como é a visita a Punta Walichu

A primeira coisa que chama atenção é a beleza singular dessa região de aspecto semiárido, a gente se sente em filmes de faroeste. Punta Walichu fica a 8km do centro, e quando a gente sai da rodovia, pega um trecho de estrada de chão rodeado por esses pastos amarelos chamados de coiron. Só para na beira do lindíssimo Lago Argentino, com seus tons de azul quase hipnotizantes e montanhas nevadas ao fundo. A paisagem fica ainda mais linda em dias de sol, como eu tive a sorte de pegar. 

Punta Walichu

Ali tem uma charmosa casa feita com telhas, onde você adquire o ingresso e pode também tomar um café com vista. Como eu fui cedo e o guia ainda não tinha chegado, fiz o passeio autoguiado. O equipamento portátil de áudio (que, na verdade, era um celular antigo configurado para isso) e o fone de ouvido são emprestados pelo sítio arqueológico, assim como um mapa que marca a localização de cada um dos 27 pontos de interesse. A ideia é chegar nos pontos identificados com uma plaquinha e dar play no número correspondente. A caminhada é circular e bem curtinha, não deve ter mais de 500 metros. 

A maior parte das pinturas foi feita praticamente rente ao chão numa pequena gruta, mas também há arte rupestre na rocha a metros de altura. Você vai ver um pequeno painel de antropozoomorfos (figuras que misturam o humano e o animal) e antropomorfos (figuras humanas estilizadas), pegadas de animais, mãos pintadas em positivo e negativo e até desenhos de labirintos semelhantes aos encontrados em sítios pré-históricos da Austrália — não se sabe se tem algo em comum, mas é curioso.

Esses povos originários, os Tehuelche, usavam a arte rupestre para se expressar. É difícil cravar o que significam os desenhos, pois nossa realidade e cultura estão muito distantes da deles, mas sabe-se que as tintas têm origem animal, feitas com medula óssea de guanacos e pumas, por exemplo. Na solução para fixar, usavam ovos, plantas e até urina. Mas vale alertar que as pinturas não estão tão preservadas quanto na Cueva Las Manos, na cidade de Perito Moreno, registro que vi em cartões-postais vendidos na região. 

Punta Walichu

Ao final do percurso, existe também uma área com réplicas de pinturas de outros sítios da zona, onde o acesso é limitado ou proibido aos visitantes. Essas réplicas foram feitas nos dias atuais e para fins meramente informativos. 

Uma curiosidade é que o assentamento foi oficialmente pesquisado por arqueólogos da Universidade de La Plata em 1988, mas as covas de Walichu já haviam sido descobertas pelo famoso explorador argentino Perito Moreno em 1877, o mesmo homem que dá nome à geleira mais famosa da região.

Ele escreveu em seu diário de viagem: "19 de fevereiro, mau tempo... vou dar um passeio em direção ao promontório... faço uma descoberta interessante. As ravinas verticais estão cobertas de sinais desenhados pela mão do homem... Até este Lago Argentino e as figuras pintadas que copiei das paredes abruptas e verticais de Punta Walichu, nome que dei a este promontório". Ele escreveu isso e reproduziu as pinturas no diário. Legal, né?

Punta Walichu

Punta Walichu - ingressos

Os preços e cotações na Argentina mudam o tempo todo, mas o ingresso inteiro custava 17 mil pesos em fevereiro de 2024, o que equivalia a R$ 70 na época. Crianças menores de dez anos não pagam, e eu consegui desconto para estudante apresentando a carteirinha brasileira. Aceita cartão. 

Quando eu fui, os visitantes entravam das 10h30 às 16h30, mas não custa conferir o horário de funcionamento atualizado no site oficial antes de ir. 

Como chegar a Punta Walichu

O sítio arqueológico está localizado a 8 quilômetros do centro de El Calafate. Os visitantes podem acessar com táxi, remis, veículo próprio ou alugado. Está identificado nos aplicativos de mapa, há uma placa que indica onde dobrar, na RP 11. 

Eu paguei 27 mil (R$ 110 na época) de Remis, e o motorista me esperou lá por uma hora, mas também rola de chamar táxi para voltar e fazer tudo com mais calma. É importante ter pesos argentinos, porque os motoristas de remis podem cobrar 30% a mais para corridas no cartão. 

Punta Walichu

Confira os 5 hotéis mais reservados por nossos leitores em El Calafate

Punta Walichu

Lago Argentino
Z9405
https://www.puntawalichu.com/