St. Barth

Saint Barthélemy, São Bartolomeu, St. Barths ou St. Barth - são vários nomes possíveis para identificar apenas uma única ilha. St. Barth, como muita gente prefere chamar (e nós também!), é um lugar tranquilo e bem preservado, que muito se assemelha a um pedacinho luxuoso da França, em meio às águas cristalinas do mar caribenho.

Com ritmo pacato de cidade do interior a maior parte do ano, onde os pássaros cantam logo cedinho e pessoas se cumprimentam ao se verem nas ruas, fica claro que esse é um destino singular. Na ilha, que fala francês e utiliza o euro, os costumes do velho continente estão sempre presentes, a começar pelo café da manhã, que quase frequentemente acompanha bons croissants. Pense em St. Barth mais como um destino europeu do que como um destino latino.

A ilha é um refúgio para quem deseja curtir praias belas e rústicas, e o assédio de vendedores passa longe. As praias de águas límpidas parecem ter sido milimetricamente desenhadas para combinar com os morros sinuosos e um céu azul vibrante. Não há como não se render a um mergulho - capaz de amenizar o calor forte que faz na região. 

St. Barth, que tem como capital a charmosa Gustavia, apresenta uma atmosfera luxuosa e exclusiva, dedicada especialmente aos que não pensam em economizar - toda viagem tem seu preço e por lá ele não é meramente simbólico. Apesar de ser sossegada na maior parte do tempo, a ilha tem também sua faceta agitada, com muita gente, festas e baladas durante a alta temporada (inverno). É um destino onde, apesar das condições geográficas impostas, desfilam carros modernos e estão ancorados grandes iates.

Festas e descanso, praias para badalar ou curtir o visual bucólico, não importa sua preferência; St. Barth garante extremo contato com a natureza. Espere encontrar por lá bons restaurantes, pessoas amistosas e visuais de tirar o fôlego.