Normandia

Como se locomover na Normandia

Quem deseja conhecer a Normandia precisa estar preparado para muitos deslocamentos durante a viagem. As atrações estão localizadas ao longo de 600 km de litoral e mais de 30 mil km² de área. Se você pretende visitar em uma mesma viagem pontos como Monte Saint-Michel, as Praias do Dia D, as falésias de Etretat, Giverny e tantas outras cidades encantadoras, será preciso um meio de transporte eficiente para percorrer o caminho entre elas. E a melhor maneira para se locomover pela Normandia, especialmente para quem fará roteiros de vários dias, é botando o carro na estrada! A França é servida por excelentes rodovias, o trânsito é seguro e dirigir por lá é muito fácil. São raros os casos em que o automóvel não será a melhor opção. Alguns passeios de bate e volta podem ser feitos facilmente de trem a partir de Paris. A maioria, no entanto, será impensável sem um automóvel.

À primeira vista, podemos imaginar que a França é sempre bem servida de trens. Porém, nem todas as cidades da Normandia possuem linhas ferroviárias. As que têm permitem o deslocamento apenas até o centro, não necessariamente até as atrações principais. Muitas vezes é preciso dar uma grande volta para chegar a outra cidade ou fazer um percurso compartilhado entre trem e ônibus. É o caso, por exemplo, do Monte Saint-Michel, das Praias do Dia D, Honfleur e Étretat. Com vários pontos turísticos dispostos ao longo do litoral, não há um meio de transporte público eficiente que conecte todos eles, o que torna impensável visitar a área sem um carro alugado ou, para quem não dirige, uma empresa de turismo contratada para fazer um tour. 

Não vamos dizer que é impossível circular pela Normandia em transporte público. No entanto, o custo será mais alto que o aluguel de um carro e você perderá tanto tempo que, sinceramente, não vale a pena. Por isso, é hora de se preparar para enfrentar a estrada. E não será nenhum sacrifício andar pelas rodovias e estradinhas que passam por charmosos vilarejos medievais. Elas são lindas, seguras e você descobrirá a cada quilômetro um lugar encantador para visitar. E o melhor de tudo: você não estará preso a itinerários ou horários dos transportes públicos!  

De carro na Normandia – Como dirigir na França.

Desbravar as estradas normandas é um dos maiores prazeres de quem viaja pela região. A qualidade das rodovias torna trajetos que poderiam ser longos e sacrificantes em belos passeios. Podemos dizer até que percorrer as estradas faz parte do pacote turístico da região. Para quem nunca viajou de carro, pode parecer um grande mistério. Na prática, no entanto, é bem fácil.

As estradas na França são um convite à felicidade e trajetos de uma ou duas horas se tornam um pulo depois de alguns dias de viagem. Você poderá sair direto do aeroporto em Paris já motorizado ou mesmo ir até a primeira cidade a ser visitada utilizando o trem e só então sair dirigindo. As locadoras de veículo aceitam que os motoristas retirem o carro em uma cidade e devolvam em outra, o que facilita muito na hora de montar o roteiro. Fique atento apenas para começar e terminar a viagem em uma cidade que tenha representação da locadora escolhida.

Alugando carro na Normandia

O processo para alugar um carro na França é bem simples e pode ser feito pela internet até mesmo em sites com versão em português. Se a viagem estiver marcada para um período de alta temporada, reserve o automóvel com antecedência. Ele será mais barato e o risco de não haver carro para locação será nulo. A única documentação exigida para o aluguel é a carteira de habilitação (a brasileira é válida na França), os dados do passaporte e um cartão de crédito válido no exterior. No geral, as locadoras aceitam apenas motoristas acima de 21 anos. Será necessário escolher o ponto de retirada e entrega do veículo (não é obrigatório que sejam na mesma cidade) e o horário dos dois. Fique atento para não escolher horários que fujam ao funcionamento da loja, evitando assim pagar um valor adicional.

Na hora de escolher o tipo de carro, leve em consideração o número de pessoas e principalmente o de bagagens. Não adianta economizar alugando um carro popular se você precisará de um grande porta-malas. Ao definir o carro, será necessário também optar por um tipo de seguro. Quanto mais barato, menor a cobertura e maior a franquia em caso de acidente. Leia atentamente todos os benefícios de cada um deles para escolher aquele mais adequado ao seu perfil. Lembre-se que alguns cartões de crédito oferecem um seguro para aluguel de automóveis, se este for o seu caso, entre em contato com a operadora de cartão para ter certeza dos seus direitos.

Alguns itens a mais podem encarecer o aluguel: cadeirinhas para crianças, GPS, motorista adicional e até seguro para motoristas abaixo de 25 anos. Verifique a necessidade de cada um deles antes de fechar o contrato. Lembre-se também de optar preferencialmente pelo sistema de quilometragem livre, pois os deslocamentos na Normandia são bastante longos e não sairá nada em conta pagar por quilômetros percorridos. Alugar o carro por mais tempo (normalmente a partir de 7 dias) também diminui o custo das diárias.

Ao chegar à locadora, será exigida a apresentação da carteira de motorista e o cartão de crédito no qual será efetuado o pagamento. Dependendo do seguro escolhido, um valor extra será bloqueado no seu cartão para o caso de alguma eventualidade. O processo é rápido e sem burocracias, especialmente se o motorista já tiver preenchido o cadastro no site da locadora. Confira qualquer tipo de avaria no carro e, caso encontre algo, comunique imediatamente à locadora.

Ao devolver o carro, fique atento ao horário agendado para não pagar uma diária a mais. Pergunte todos os detalhes sobre onde estacionar o veículo para devolução. Não deixe para devolver o carro próximo ao horário do voo, pois não é possível prever se haverá algum tipo de demora no atendimento. Em teoria, o motorista precisará apenas entregar as chaves. A vistoria é feita depois, sem a presença do cliente. Qualquer gasto extra virá debitado diretamente no cartão de crédito. Ainda assim, não é comum que sejam cobrados valores que não foram previamente acertados. 

Veja algumas empresas e sites que oferecem aluguel de carros e outros veículos na França:

GPS e mapas

Quem deseja percorrer as estradas da França conta com a eficiente ajuda do GPS. É possível adquirir, ainda no aeroporto, um chip de celular com pacote de dados para internet que permitirá usar aplicativos de locomoção bastante eficientes, como o Google Maps. Ainda no Brasil, você poderá montar o seu mapa de viagem online, com todas as atrações a serem visitadas, rotas, hotéis e restaurantes, e assim facilitar a locomoção ao longo da viagem. Há até mesmo a possibilidade de baixar os mapas em uma rede Wi-Fi e depois utilizar o GPS offline no smartphone sem precisar gastar o pacote de dados. Quem optar por alugar um GPS também não encontrará problemas. Todas as locadoras oferecem o equipamento e alguns carros mais completos já vêm com o aparelho instalado. O custo, no entanto, poderá sair mais caro que o chip de celular e você não contará com todos os outros benefícios da internet no smartphone.

Regras de trânsito

As regras de trânsito na França são muito semelhantes às do Brasil, assim como as placas de sinalização. Ao percorrer os trajetos entre as atrações, é fácil perceber a mudança entre as grandes rodovias (A - autoroute), as rodovias comuns (N - route nationale) e as estradas secundárias (D - departimentale). Basta ficar atento à velocidade da via-que varia entre 50, 70, 90, 110 e 130km/h (com redução quando há chuva) – para não ter problemas. Dirigindo conforme as leis brasileiras, dificilmente você cometerá uma infração.

Radares de velocidade são comuns nas estradas e muitos não são sinalizados. Muitos radares, localizados nos carros de polícia estacionados à beira da pista, flagram motoristas mais apressadinhos. Fique ligado! As multas são cobradas na hora e o carro poderá ser apreendido caso o excesso tenha ultrapassado 25% da velocidade da via.

Os motoristas franceses costumam ser bastante educados no trânsito. Uma regra facilmente percebida nas estradas é utilizar a pista da esquerda apenas para ultrapassagem. O mesmo vale para quando o motorista percebe que um carro vai entrar na rodovia vindo pela direita. O normal é o carro que está na rodovia ir para a esquerda e permitir a livre entrada do automóvel que chega pela direita.

As rodovias são extremamente bem sinalizadas, até mesmo com grandes outdoors em modelo padrão que anunciam a principal atividade turística da próxima cidade. As placas de indicação de cidades, saídas, postos de combustível e até áreas para descanso e piqueniques são bem claras e fáceis de serem acompanhadas.

Pedágios

Enquanto estiver percorrendo as estradas da Normandia, o motorista encontrará pedágios apenas nas autoroutes - A. Os preços variam de acordo com o trecho percorrido e, no geral, custam entre EUR 1,50 e EUR 5,50. O pagamento pode ser feito facilmente em cartão de crédito (inserindo o cartão direito na máquina do pedágio) ou em moedas. Caso você não tenha nenhuma das duas opções ou o cartão não funcione, solicite pelo botão de atendimento o auxílio de um funcionário. Não há atendentes em todas as cabines e quase sempre o sistema é eletrônico. Há ainda a possibilidade de alugar um carro com o cartão de passagem automática pelo pedágio. Tenha cuidado ao chegar na cabine para não entrar na opção de pagamento errada. 

Abastecimento

Não será difícil encontrar postos de abastecimento ao longo das principais rodovias da Normandia. O mesmo não acontece nas vias secundárias. Por isso, esteja sempre com uma quantidade segura de combustível no carro. Geralmente, os veículos são abastecidos com gasolina sem chumbo, chamada de sans plomb. Você encontrará vários tipos delas nas bombas, com variação de preço de acordo com a eficiência. Outro combustível disponível é o diesel, ou gazole/gas-oil. Cuidado para não confundir a gasolina com o diesel, já que os nomes em francês são, digamos, trocados.

Diferente do Brasil, na França, quem abastece o veículo é o próprio motorista. Pode ser difícil na primeira vez, mas é um processo bem fácil. Basta abrir a tampa do tanque de combustível, escolher a mangueira na bomba e apertar o gatilho (antes de apertar, tenha certeza de que a mangueira está bem encaixada para não vazar). De modo geral, a bomba para automaticamente de abastecer quando o tanque está completo. Ao terminar de abastecer, o motorista deverá efetuar o pagamento dentro da loja de conveniência (ou na própria bomba, caso haja pagamento em cartão disponível). Para isso, basta dizer o número da bomba (eles estão bem claros em cada uma delas). Não se esqueça de entregar o carro alugado com o tanque de combustível cheio, assim você evitará pagar multa ou outras taxas.

Estacionamentos

Os viajantes que estiverem com carro alugado não encontrarão problemas de estacionamento na Normandia. Na maioria das atrações há estacionamentos gratuitos, assim como nas cidades da região. Os motoristas encontrarão dificuldade para estacionar de graça apenas nos grandes centros urbanos. Ainda assim, o sistema de parquímetro é eficiente e em muitas zonas onde eles existem (especialmente nas residenciais) as vagas costumam ser gratuitas entre 19h e 9h do dia seguinte. Fique atento às vagas sinalizadas com a palavra payant pintada de branco no chão. Se este for o caso, procure o parquímetro mais próximo e veja as regras daquele local específico. 

De trem na Normandia

À primeira vista, pode parecer uma boa ideia viajar de trem pela Normandia. Porém, ao parar na primeira cidade, será fácil perceber que muitas atrações estão bem distantes das estações de trem e muitas delas não são acessíveis em transporte público. Sem contar que várias atrações estão localizadas em cidades que não oferecem o transporte ferroviário. Locomover-se pela Nornandia com esse meio de transporte é possível, o que não necessariamente quer dizer rápido, prático ou conveniente para o viajante.

A oferta de trens, especialmente entre as cidades menores, é bastante escassa e com horários muito limitados. A exceção fica por conta do trajeto entre cidades maiores, como de Paris para Rouen (com parada em Vernon, de onde se pega o ônibus para Giverny); Deaville e Trouville; Caen e Bayeux. Além dos trens não oferecerem flexibilidade de horários, muitas vezes a rota não é direta entre duas cidades de interesse, o que acarreta em muitas voltas e perda de tempo. O maior problema, entretanto, é realmente não ser possível chegar até destinos como Monte Saint Michel, Praias do Dia D, Honfleur e Étretat. Para todos eles, é necessário usar um transporte adicional, como o ônibus.

É claro que os trens são uma delícia, não dão nenhum trabalho para “dirigir”, são pontuais e muito seguros. Entretanto, há de se avaliar que a Normandia é um destino a ser descoberto à beira da estrada. É percorrendo as pistas por dentro dos pequenos vilarejos que se encontra as boulangeries, os produtores de cidras e queijos artesanais, as charmosas contruções medievais, châteaux lindíssimos e tantas outras atrações que não estão entre os principais pontos turísticos, mas fazem parte do passeio. O trem, nesse caso, não é o meio de locomoção mais adequado para quem deseja curtir intensamente a região.

Ainda assim, alguns trajetos podem ser feitos combinando trem e ônibus. A opção é interessante especialmente para os viajantes que desejam fazer apenas um bate e volta a partir de Paris. Neste caso, os dois destinos mais procurados são Giverny e Monte Saint-Michel. Veja mais em roteiros pela Normandia

Como comprar a passagem de trem na França

Quem optar pelo deslocamento de trem poderá consultar itinerários, preços e realizar a compra em sites especializados. Infelizmente, o site oficial da SNCF (Société Nationale des Chemins de fer Français), uma das principais empresas públicas de transporte da França, não costuma aceitar cartões de crédito brasileiro. Ainda assim, ele é excelente para consultar rotas, mapas, horários e todas as informações necessárias para a compra da passagem, até mesmo um calendário com o período que as tarifas estão mais baixas. O site da SNCF oferece também a possibilidade de aluguel de carros. 

Outra opção para quem deseja comprar o ticket ainda no Brasil é utilizar o serviço da Raileurope. A empresa vende passagens para toda a Europa e oferece uma página especialmente para os brasileiros. O serviço é eficiente e aceita cartões de crédito brasileiros. O único "porém" é uma taxa adicional cobrada a cada compra, o que encarece a passagem. O valor da taxa varia de acordo com o trajeto e preço final.

Caso a compra seja realizada pela internet, o viajante poderá optar pela impressão do bilhete em casa ou pelo bilhete eletrônico. As duas alternativas evitam a necessidade de validar o ticket nas máquinas ao chegar à estação (obrigatório para quem compra o bilhete na hora). Todas as passagens podem ser adquiras em máquinas e guichês nas estações, até mesmo minutos antes do embarque. Vale lembrar que os preços ficam mais altos à medida que a data da viagem se aproxima, por isso, se quiser economizar e não correr o risco de ficar sem passagem, procure comprar com antecedência. 

Veja mais em roteiros pela Normandia e em como chegar

Tudo que você precisa saber sobre Normandia!

Esse texto sobre Como se locomover na Normandia faz parte do guia de Normandia no Melhores Destinos

Comentários para Como se locomover na Normandia

  • Missing José Eduardo Amaral há 1 ano

    Passando para agradecer pelo excelente post. Me ajudou bastante. Muito obrigado!

Para comentar você precisa se cadastrar ou fazer login.