Ilha de Páscoa

Mistérios, histórias, belezas naturais e descobertas sem fim: a Ilha de Páscoa, encontrada por europeus num domingo de Páscoa, é um destino simplesmente único. Considerada uma das ilhas mais isoladas do mundo, a Ilha Rapa Nui - como é chamada na língua nativa - está localizada na Polinésia, a 3700km do Chile, país a que pertence. 

O lugar é conhecido pelos gigantes moai espalhados pela ilha, estátuas esculpidas em pedras, construídas em culto aos antepassados. Para muita gente, a existência das "cabeças gigantes", que na verdade possuem corpo e até cabelo, é uma absoluta incógnita; para quem visita a Ilha de Páscoa, no entanto, fica clara a grandiosidade de um povo que, com pouca tecnologia, foi capaz de construir obras tão impressionantes que nunca sairão da história. 

A ilha de origem vulcânica é ideal para fugir do ritmo acelerado da cidade e desfrutar de paisagens belíssimas. Há quem pense que os moai são as únicas atrações de Páscoa, mas esse pensamento não poderia estar mais equivocado. Os moai são, sim, o símbolo do lugar e o principal atrativo; além deles, porém, vulcões, parques, praias e restaurantes formam uma combinação imperdível para curiosos e viajantes de todos os tipos. 

Hanga Roa é a base da ilha, onde se concentram restaurantes, lojas, moradores locais, hotéis e outros serviços. Entre os passeios imperdíveis para colocar no roteiro estão: o nascer do sol no Ahu Tongariki; Rano Raraku, a fábrica de moai; Orongo, onde acontecia o ritual do homem-pássaro; uma caminhada nas encostas do belo vulcão Rano Kau; e, claro, o tradicional pôr do sol de Tahai. Se o calor apertar, nada melhor do que ir a Anakena, curtir uma praia e, de quebra, observar mais moai.

Embora Ilha de Páscoa, fincada no Oceano Pacífico, seja um destino incrível, uma viagem ao lugar requer planejamento quanto aos custos. Hotéis e restaurantes têm preços bem acima da média e não colaboram com o orçamento, mas o consenso geral é que Rapa Nui e seu povo são tão interessantes que valem o esforcinho. 

Mágica, fascinante e única. A Ilha de Páscoa é um lugar para esquecer celulares e barulho de trânsito, e abrir espaço para uma cultura antiga, que, apesar das dificuldades, conseguiu sobreviver aos dias atuais.