Melhores Destinos
Jéssica Weber Jornalista apaixonada por mato e praia, interessada na história dos lugares, na arquitetura das cidades e em comida, é claro.

Perito Moreno

O Perito Moreno é uma das coisas mais lindas que eu já vi na vida. Inflar as expectativas de quem vai viajar a El Calafate com essa frase parece ser uma corrente secreta entre os que já tiveram o privilégio, e quem sou eu para quebrá-la?! É realmente uma das coisas mais bonitas que já vi. 

Geleira mais famosa da Patagônia, o Glaciar Perito Moreno impressiona pelo tamanho (equivale a mais de 30 mil campos de futebol), pelos formatos curiosos do gelo, pelos tons de azul vivos que irradiam das suas profundezas e pelo som também. Quando cai um bloco de gelo, gera um barulho parecido com um trovão, que chega a ecoar por segundos no interior da geleira. Flagrar um desses desprendimentos é a grande expectativa de muitos visitantes, e conseguir gravar em vídeo, então, é praticamente um prêmio!

Perito Moreno

Mas talvez o que leva o Glaciar Perito Moreno a ser tão famoso, mais do que as outras 15 mil geleiras que existem na Argentina, é a facilidade de acesso. A gente apreciou ele de três formas: das passarelas panorâmicas, do passeio de barco no Lago Argentino e em um minitrekking sobre o gelo — sim, é possível até mesmo subir na geleira. Eu conto como foi cada experiência abaixo. 

Perito Moreno: o que saber sobre o glaciar

As paredes do Perito Moreno chegam a superar 60 metros de altura, no ponto mais alto, fora os 100 metros que a geleira têm debaixo d'água e não conseguimos enxergar. O que a gente avista é só um pedacinho dele: no interior, chega a ter 700 metros de altura de puro gelo, é tipo 18 vezes o tamanho do Cristo Redentor. E isso que ele nem é a maior geleira da região: fica atrás de Glaciar Pío XI, Viedma e Upsala.

Você sabe o que é um glaciar/geleira? É uma massa de gelo em movimento formado pelo acúmulo de neve ao longo do tempo. A neve acumulada perde, por efeito do peso e pressão, grande parte do ar e aumenta sua densidade até formar gelo glacial.

Perito Moreno

Esse volume quase inconcebível de neve compactada desce da Cordilheira dos Andes, na fronteira entre Argentina e Chile, até o braço sul do Lago Argentino. Em 1917, o Perito Moreno tocou a Península de Magalhães e formou um grande dique. Ele segue em movimento (se move 15 centímetros por dia nas pontas e até dois metros no seu interior). O glaciar perde gelo o tempo todo, por desprendimento, seja na parte dentro ou fora da água. É um processo natural, e por isso que existem icebergs boiando nas imediações.

Para chegar ao Perito Moreno, é preciso entrar na área do Parque Nacional Los Glaciares. O acesso se dá a 80 km de El Calafate, em estrada 100% asfaltada, e o ingresso custava 12 mil pesos argentinos em fevereiro de 2024, o equivalente a 50 reais na época. Se você  pretende retornar ao Perito Moreno na viagem, ou se for fazer o passeio de barco Todo Glaciares, que eu descrevo neste link, não se esqueça de guardar o bilhete, para ter 50% de desconto no segundo dia. 

Perito Moreno

Eu fui duas vezes ao Perito Moreno. No primeiro dia, tinha bastante nebulosidade e uma névoa que cobria a parte mais distante da geleira e os montes no entorno. Voltei em um dia de sol, e realmente a paisagem fica mais linda, especialmente pela cor do Lago Argentino, um azul claro que parece radioativo de tão vívido. Por isso, vocês vão ver fotos com dia nublado e ensolarado ao longo deste post.

Passarelas do Perito Moreno

Perito MorenoCaminhar pelas passarelas do Perito Moreno é a maneira mais tradicional de conhecê-lo. Há quatro quilômetros de caminhos construídos sobre rochas e a vegetação local, a uns 300 metros de distância da geleira, no ponto mais próximo. Mesmo se você optar pelo minitrekking ou passeio de barco, vai ter acesso a eles. 

As passarelas são divididas em cinco rotas, cada uma, identificada com uma cor. Obs: sendero significa trilha em espanhol. 

  • Sendero Central (amarelo): 600 m, previsão de 1h para percorrer e dificuldade baixa. 
  • Sendero de la costa (azul): 1117 m, previsão de 2h para percorrer e dificuldade média.
  • Sendero inferior (vermelho): 1100m, previsão de 2h e dificuldade mais alta. 
  • Sendero del Bosque (verde): 570 m, previsão de 1h para percorrer e dificuldade média
  • Sendero Acessível (roxo): 564m, previsão de meia hora, dificuldade baixa. 

Perito Moreno

O sendero amerelo é o que tem a melhor vista, bem de frente para a geleira, onde as paredes são mais altas. Tem até uma área coberta, parecida com uma parada de ônibus, com uma parede transparente para proteger os visitantes dos ventos gelados. 

Mas também vale a pena fazer ao menos o trecho inicial da passarela azul, que tem uma vista bonita para o lado norte do glaciar, onde o Lago Argentino tem uma cor mais bonita (um azul quase turquesa) e junta mais icebergs. Dá pra brincar de ver formato em iceberg, como a gente fazia com as nuvens quando era criança. Com certa liberdade poética, eu consegui enxergar um daqueles soldados do Star Wars nesse bloco de gelo daqui, mas com formato leão da metade para trás. É uma esfinge-stormtrooper. Viajei demais? 

Eu acho que não vale a pena fazer toda a passarela azul porque ela vai se afastando demais da geleira, em direção ao Puerto Perito Moreno e estacionamento do lado norte. O vermelho é um pouco mais puxado, tem bastante subida e descida, e é o que revela as vistas mais próximas da parede do lado sul. Claro que se você estiver de carro, vai poder fazer todas as rotas que quiser, mas o tempo nas excursões é contado, então vale avaliar bem antes de sair caminhando. 

Nas passarelas, a pedida é tirar fotos e ficar admirando a imensidão do Perito Moreno, na expectativa de ver algum desprendimento de gelo. No dia que fazia sol, a vontade que eu tinha é de ficar horas lá, sentada em um banquinho que encontrei em um mirante. Com exatamente essa vista: 

Perito Moreno

Atente que, na maior parte, as passarelas são de metal e vazadas, então pequenos objetos podem cair entre as frestas. E não deixe de ler as informações das placas espalhadas pelas passarelas, que, além do mapa das rotas, ainda passam curiosidades sobre o Perito Moreno e vegetação local. 

A estrutura do Perito Moreno inclui dois estacionamentos, com venda de comida, banheiros e estrutura para receber o turista. Um fica sobre o morro, no começo do circuito de passarelas. Ali vende lanches (sanduíches, salada de frutas, alfajores, cervejas, café...) e tem uma loja de souvenir. 

No estacionamento junto ao porto do lado norte, tem um espaço de alimentação com micro-ondas e um restaurante com pratos quentes, o Restó del Glaciar Perito Moreno. Ali termina (ou começa) o sendero azul. 

Para ter acesso às passarelas, é necessário comprar o ingresso na entrada do Parque Nacional Los Glaciares, eu paguei o equivalente a R$ 50 em fevereiro de 2024. Quando eu fui, o cartão Matercard não estava sendo aceito, é bom ter pesos argentinos para uma emergência. 

Perito Moreno

Não há transporte público até lá, e, como eu já disse, fica a 80km de El Calafate. Se você não está de carro, a opção mais comum é ir em ônibus de excursão, que pode ser contratado com qualquer agência local ou no site da Civitatis, que tem o conveniente de já disponibilizar o valor final em reais. 

Você também pode ir de remis, que é um táxi com valor tabelado, mas não é barato. Quando eu fui, custava mais de R$ 650, com espera de três horas no local. Isso pagando em pesos argentinos, a agência de remis adicionava 30% em cartão. 

Passeios de barco no Glaciar Perito Moreno

Perito Moreno

O passeio de barco tradicional do Glaciar Perito Moreno parte do Puerto F. P. Moreno, que é o que fica junto ao restaurante Restó del Glaciar Perito Moreno (desculpe, mas a repetição aqui é inevitável hehe). Tem várias partidas ao longo do dia e duração de aproximadamente uma hora. 

A gente navega pelo Lago Argentino até ficar a, aproximadamente, 300 metros do glaciar. A distância que a gente chega é praticamente a mesma das passarelas, mas a vista é outra. Dali, é possível ver em detalhes a parede norte do Perito Moreno, e de um ângulo diferente também, porque estamos na altura da água. 

O barco que eu peguei era pequeno e meio velhinho, mas vi que tinha outro melhor. Tem sempre uma área fechada na embarcação, porém, se o tempo está bom, pouca gente fica lá dentro: a galera prefere subir na área aberta, que é mais emocionante e garante imagens melhores. Mesmo se estiver fazendo calor, não deixe de levar um casaco grosso, porque o vento ali é de gelar até a alma. 

Na minha humilde opinião, o mais massa desse passeio é passar pertinho de icebergs de diferentes tamanhos e formatos. Os blocos se desprendem do Perito Moreno e ficam boiando pelo Lago Argentino, parecem esculturas de gelo flutuantes. Olha o buraco simétrico no meio desse iceberg, eu estou aqui encucada até agora, tentando imaginar como se formou. 

Perito MorenoEu acho a vista das passarelas ainda mais impressionante e completa, com uma dimensão maior da geleira. Sorte que, depois do barco, sempre sobra tempo para elas. No passeio que eu fiz, inclusive, começava com o passeio de barco, daí a gente era orientado a fazer toda a trilha azul, que começa ali no Puerto F. P. Moreno. Eu subi as escadarias e saí no sendero amarelo, que é aquele com melhor vista. No caminho, ainda consegui gravar um desprendimento de gelo. Missão cumprida!

Você pode comprar a excursão com transporte e o passeio de barco em agências de El Calafate ou pelo site da Civitatis, onde dá para ver o preço atualizado. Se estiver de carro, também dá para comprar o passeio de barco na hora, mediante disponibilidade de vagas. O ingresso no Parque Nacional Los Glaciares costuma ser pago à parte, na hora. Perito Moreno

Trekking no Perito Moreno

Perito MorenoHá duas opções de caminhada no Perito Moreno: o minitrekking, com uma hora sobre a geleira, e o Big Ice, onde se dá uma volta maior por terra e anda até três horas no gelo, com um nível de esforço mais alto. Ambos os passeios incluem um tempo nas passsarelas e tomam um dia inteiro da viagem. 

Eu fiz o minitrekking, e, sério, parece coisa de outro planeta! A experiência começa no Puerto Bajo de las Sombras, com a travessia do Lago Rico pelo lado Sul da geleira. Só isso já seria massa: tem cabine fechada, mas todo mundo quer ficar na área aberta, fazendo registros das paredes da geleira e seus formatos inusitados. O vento é gelado, mas vale a pena. 

Leva 20 minutos no barco para alcançar a costa oposta, onde fomos recepcionadas pelos guias de montanha. A caminhada por terra é curtinha, não dá nem um quilômetro, mas já oferece belas vistas do lado sul do Perito Moreno. Então, funcionários da empresa nos ajudam a colocar grampos no sapato, que fincam no gelo e nos ajudam a não sair derrapando. 

A partir daí, a caminhada dura uma hora no gelo. 

Perito Moreno

Mesmo com os grampos, não é assim tão fácil caminhar no gelo, tem que andar devagarinho separando bem os pés. Mais difícil ainda é conseguir se coordenar enquanto a gente baba nessa paisagem. Vai dizer que não parece a maior torta de merengue do planeta, com formiguinhas-humanas em cima?

Perito MorenoA gente passa sobre profundas fendas no chão e riachinhos que caem em túneis dentro do gelo. É que a água derretida se transforma em rios e fluem, formando sumidouros na superfície congelada. E o tom de azul que irradia das profundezas da geleira, sério... É mágico! Se dá sede, a galera toma água do glaciar mesmo. Sabia que a Geleira Perito Moreno é uma das reservas de água doce mais importantes do mundo?

Andamos bem devagarinho, com tempo para tirar fotos, mas não é possível se afastar dos guias por questão de segurança. No final do percurso, eles nos servem bombons e whisky, com gelo que raspam na hora do glaciar. Como começou a chover fraco nessa hora, eu tomei uns três copos para esquentar hehehe. Fiz a caminhada de volta feliz como pinto no lixo. 

Justamente por isso, é importante ir bem agasalhado e com roupas impermeáveis para o trekking no Perito Moreno, mesmo no verão. A gente pegou sol e chuva durante essa hora de caminhada no gelo, e depois ainda teve a bênção de um arco-íris. Tem um refúgio perto do cais, onde a gente consegue tomar um cafezinho e se esquentar um pouco antes de pegar o barco de novo. 

Perito Moreno

A atividade não é barata, e é feita apenas por uma empresa, a Hielo y Aventura, que tem a concessão de exploração turística do Perito Moreno. Pode ser adquirida por agências de El Calafate ou no site do Civitatis, onde você confere o preço atualizado, já em reais. Se você não estiver de carro, eu recomendo optar pela opção com transporte incluído. 

Vale destacar também que, devido ao grau de esforço e dificuldade, os trekkings na geleira tem restrições de públicos, inclusive, de idade. São elas:

  • Minitrekking do Perito Moreno: Vetado a crianças com menos de 8 anos ou idosos com mais de 65 anos. Também não pode ser feito por grávidas, pessoas obesas, com histórico de doença cardíaca ou cardiovascular, com deficiências respiratórias, físicas ou mentais. 
  • Big Ice do Perito Moreno: não pode ser realizado por jovens com menos de 18 anos nem por pessoas com mais de 50 anos. Também não pode ser feito por grávidas, pessoas obesas, com histórico de doença cardíaca ou cardiovascular, com deficiências respiratórias, deficiências físicas ou mentais. 

Perito Moreno: fotos

Segue mais imagens que eu registrei durante minhas duas visitas ao Perito Moreno:

Confira os 5 hotéis mais reservados por nossos leitores em El Calafate