Os barcos com açaí que chegam durante a madrugada ao Mercado Ver-o-Peso são o despertar do dia na cidade de Belém, no Pará. Os cestos carregados de frutas exóticas, peixes amazônicos e temperos de todos os cheiros e sabores que circulam pelo mercado são apenas os primeiros passos para conhecer a capital paraense. Intensa em todos os sentidos, Belém é uma cidade para ser vivenciada e não apenas visitada. E quanto mais rápido você se deixar levar pelo jeito paraense, mais fácil irá se apaixonar e entender um pouco do que é a força do norte do Brasil.

A cidade de Belém, fundada em 1616, é uma mistura da exuberância amazônica e cultura indígena com os tempos áureos do Ciclo da Borracha, período que levou muita riqueza à região no final do século XIX e início do século XX. Foi nesse período de produção de grandes fortunas (a ponto de a cidade ser comparada a Paris) que Belém ganhou forma, luxuosos edifícios — como o maravilhoso Theatro da Paz — e se desenvolveu como um dos principais centros urbanos da região norte do Brasil. Hoje uma grande capital, Belém guarda traços de tudo o que fez parte da sua história. E é exatamente essa riqueza de influências que faz de Belém um destino tão único e especial.

Entender Belém não é fácil à primeira vista. Na verdade, Belém é uma cidade real e repleta de problemas, mas que transborda de emoção e tem um povo cheio de fé, extremamente apaixonado e sempre disposto a apresentar cada beleza e sabor da região aos turistas que chegam por lá. A paixão dos belenenses está presente em todos os lugares, mas certamente pode ser resumida nos dias do Círio de Nazaré, festividade religiosa que leva às ruas de Belém mais de dois milhões de pessoas e que arrebata a todos que participam, mesmo quem não é religioso.

Ao visitar Belém, experimente tudo o que de novo aparecer. Assim você terá um gostinho do Pará e, certamente, vai querer voltar. Se deixe levar pelo carimbó e o treme-treme do jambu, deguste os mais diferentes peixes e pratos típicos, coma castanhas em todas as formas (a fresca é maravilhosa), visite todos os espaços verdes da cidade (eles são um ótimo refúgio para os dias de calor) e marque um encontro depois da chuva (ela sempre aparece). Vá de coração aberto e deixe que ele seja preenchido pela intensidade do povo paraense. Boa viagem e lembre-se de deixar um espaço na mala para levar um bom e verdadeiro açaí e algumas castanhas fresquinhas! Eles suprirão a saudade até que você volte a Belém mais uma vez.