Os barcos com açaí que chegam durante a madrugada ao Mercado Ver-o-Peso são o despertar do dia na cidade de Belém, no Pará. Os cestos carregados de frutas exóticas, peixes amazônicos e temperos de todos os cheiros e sabores que circulam pelo mercado são apenas os primeiros passos para conhecer a capital paraense. Intensa em todos os sentidos, Belém do Pará é uma cidade para ser vivenciada e não apenas visitada. E quanto mais rápido você se deixar levar pelo jeito paraense, mais fácil irá se apaixonar. 

Entender Belém não é fácil à primeira vista. Na verdade, Belém é uma cidade real e repleta de problemas, mas que transborda de emoção e tem um povo cheio de fé, extremamente apaixonado e sempre disposto a apresentar cada beleza e sabor da região aos turistas que chegam por lá. A paixão dos belenenses está presente em todos os lugares, mas certamente pode ser resumida nos dias do Círio de Nazaré, festividade religiosa que leva às ruas de Belém mais de dois milhões de pessoas e que arrebata a todos que participam, mesmo quem não é religioso. É hora de experimentar e entender um pouco do que é a força do norte do Brasil.

  Theatro-da-paz

O que fazer em Belém do Pará

Belém é uma cidade que convida a conhecer diversos pontos turísticos, mas também muitas tradições. E é quase impossível dissociar as duas coisas, que andam sempre juntas por lá. Para começar a entender a cidade de Belém do Pará, nada como o Mercado Ver-o-Peso, principal atração local e onde todas as tradições de encontram. Para entrar de vez no clima, deguste o máximo de pratos paraenses que puder em alguns dos tradicionais restaurantes de Belém.

  Ilha-do-combu

Depois de experimentar (literalmente) um pouco de Belém, siga para conhecer outras atrações. Muitos dos principais pontos turísticos de Belém estão concentrados na região do Centro Histórico, composta pelos bairros Campina e Cidade Velha. Em um dia ou dois de passeio você poderá fazer um roteiro com visita ao Theatro da Paz, à Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, ao Forte do Presépio e a todo o Complexo Feliz Lusitânia, que conta com a Catedral Metropolitana de Belém, a Casa das Onze Janelas e o Museu de Arte Sacra. Ao final da tarde, não deixe de fazer um passeio de barco pela Baía do Guajará e o Rio Guamá, com direto a emendar o happy hour na Estação das Docas.

  Mercado-ver-o-peso

Para ver um pouco do verde amazônico, não deixe de visitar os parques de Belém. O Mangal das Garças é o mais famoso entre os turistas, mas vale conhecer também o Bosque Rodrigues Alves, o Museu Paraense Emílio Goeldi, o Parque da Residência e o Parque Estadual do Utinga. E se o desejo for de um cenário ainda maior, o passeio até a Ilha do Combu será boa pedida!

Se estiver com tempo na viagem, invista em visita a regiões próximas. Em Icoaraci é possível comprar lindas peças de cerâmica marajoara. Já na Ilha do Mosqueiro a pedida é curtir as praias de rio, que dão um refresco em meio ao calor do Pará. E se o seu desejo for de água, vale até esticar o passeio até Salinópolis ou Algodoal, duas regiões consideradas balneários pelos paraenses.

  Bosque-rodrigues-alves-jardim-zoobotanico

Hotéis em Belém

Apesar de ser uma cidade sempre movimentada por pessoas de fora, Belém não tem uma grande rede hoteleira. A boa notícia é que os preços costumam ser amigáveis para os turistas que visitam a cidade. A exceção fica por conta apenas do período do Círio, que exige meses de antecedência para reserva do hotel.

Escolher a região onde se hospedar em Belém não será difíciel, já que os principais pontos turísticos estão concentrados em uma pequena parte da cidade, o que exige poucos deslocamentos. Os principais bairros para hospedagem em Belém são o Umarizal, Nazaré, Batista Campos e Campina, mas há opções também em outras regiões, como a Cidade Velha e os arredores do Aeroporto Internacional de Belém. São bairros vizinhos e muito próximos, no entanto, a pouca distância entre eles já faz muita diferença no quesito segurança. Nem toda região é boa para caminhadas noturnas, por exemplo. Por isso a escolha deve ser bastante criteriosa.

Confira os detalhes sobre cada uma das regiões para hospedagem e dicas de hotéis em Belém para a sua viagem.

  Mangal-das-garcas

Quando ir a Belém do Pará

Em Belém sempre faz calor e a temperatura máxima fica entre 32ºC e 35ºC durante todo o ano. O que marca o melhor e pior período para a viagem é a intensidade das chuvas. Ao organizar uma viagem para Belém, dê preferência ao período conhecido como “verão amazônico”, que vai de junho a novembro. É nesse período que há menor incidência de chuvas na cidade, sendo outubro o mês mais “seco”, como média de 115 mm. A temporada de chuvas intensas em Belém vai de dezembro a maio, sendo março o auge dos temporais, com mais de 440 mm de chuva no mês. Evite viajar nesse período para não peder o dia de passeio esperando a chuva passar.

  • Meses menos chuvosos – Junho a Novembro;
  • Meses mais chuvosos – Dezembro a Maio;
  • Altíssima temporada – Outubro, especialmente no segundo final de semana, quando acontecem as principais procissões do Círio de Nazaré.

  Estacao-das-docas-de-belem

Como chegar a Belém 

Belém, capital do Pará, está entre os mais populares destinos da região norte do Brasil. A principal porta de entrada para os turistas que visitam a cidade é o Aeroporto Internacional de Belém Val-De-Cans (BEL). Apesar de estar distante de grande parte das principais capitais brasileiras, Belém é facilmente acessível em voo direto a partir de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Manaus, Santarém e outras cidades brasileiras. Para quem não está em destinos com voo direto, basta fazer uma conexão para chegar a Belém. Veja mais detalhes sobre como chegar a Belém do Pará.

Mercado-ver-o-peso

Quanto tempo ficar em Belém

Uma viagem de quatro dias é ideal para conhecer os principais pontos turísticos de Belém, além de poder experimentar diversos pratos da culinária local. Com mais tempo, vale sair do roteiro que envolve o centro da cidade para começar a explorar atrações próximas.

Um pouco sobre a história de Belém

A cidade de Belém, fundada em 1616, é uma mistura da exuberância amazônica e cultura indígena com os tempos áureos do Ciclo da Borracha, período que levou muita riqueza à região no final do século XIX e início do século XX. Foi nesse período de produção de grandes fortunas (a ponto de a cidade ser comparada a Paris) que Belém ganhou forma, luxuosos edifícios - como o maravilhoso Theatro da Paz - e se desenvolveu como um dos principais centros urbanos da região norte do Brasil. Hoje uma grande capital, Belém guarda traços de tudo o que fez parte da sua história. E é exatamente essa riqueza de influências que faz de Belém um destino tão único e especial.

  Basilica-de-nossa-senhora-de-nazare

Ao visitar Belém, experimente tudo o que de novo aparecer. Assim você terá um gostinho do Pará e, certamente, vai querer voltar. Se deixe levar pelo carimbó e o treme-treme do jambu, deguste os mais diferentes peixes e pratos típicos, coma castanhas em todas as formas (a fresca é maravilhosa), visite todos os espaços verdes da cidade (eles são um ótimo refúgio para os dias de calor) e marque um encontro depois da chuva (ela sempre aparece). Vá de coração aberto e deixe que ele seja preenchido pela intensidade do povo paraense. Boa viagem e lembre-se de deixar um espaço na mala para levar um bom e verdadeiro açaí e algumas castanhas fresquinhas! Eles suprirão a saudade até que você volte a Belém mais uma vez.