Chapada Diamantina

Como se locomover na Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina é bastante extensa e uma viagem para a região implica em longos deslocamentos para visitar as principais atrações. E quando falamos em deslocamento, não estamos tratando apenas de trechos motorizados, mas também de belas trilhas a pé que podem levar até cinco dias para serem percorridas. Nem todos os atrativos dependem de caminhadas para serem alcançados, mas tenha em mente que será quase inevitável fazer algumas trilhas enquanto estiver na Chapada, até porque é no final de cada uma delas onde estão algumas das mais belas cachoeiras e paisagens do Brasil.

A região que engloba a Chapada Diamantina ocupa mais de 38 mil km² de área no centro da Bahia. Várias áreas de preservação estão dentro desse território, entre elas o Parque Nacional da Chapada Diamantina. E para percorrer as principais atrações, dentro e fora do Parque Nacional, será preciso uma boa logística para não perder tempo demais em deslocamentos. Infelizmente a Chapada Diamantina é muito mal servida de transporte público entre as principais bases de hospedagem, por isso será necessário ter um carro ou contratar uma agência de turismo para fazer os passeios mais distantes e que exigem deslocamento por estradas. 

Mirante-do-camelo

Chapada Diamantina de Carro

A maneira mais econômica de circular pela Chapada Diamantina é de carro, seja ele próprio ou alugado. O carro é essencial para quem deseja economizar com os passeios, já que muitos deles não exigem a presença de um guia para serem realizados e as agências de turismo cobram preços bem altos. Mesmo nos roteiros que exigem a presença de um guia, será bem mais econômico contratar o serviço de guia particular e dividir o valor entre os integrantes do automóvel, principalmente se forem quatro pessoas no carro. 

O custo de um guia particular na Chapada Diamantina é, em média, entre R$ 150 e R$ 200 para até quatro turistas. Bem mais em conta que os passeios, que giram em torno de R$ 150 a R$ 350 por pessoa em passeios de um dia. Mesmo com o aluguel do carro e o valor do combustível, será mais barato contratar um guia particular do que uma agência. A regra só não vale para quem está viajando sozinho. Nesse caso, o mais recomendado é mesmo contratar o serviço de uma agência de turismo, já que o valor será praticamente o mesmo.

Viajar de carro pela Chapada Diamantina não é difícil e aplicativos de locomoção serão bem-vindos na tarefa de percorrer as estradas. É preciso muita atenção nas rodovias mais movimentadas, como a BR 242, que leva a Lençóis. Ela é repleta de caminhões e os veículos não costumam cumprir regras básicas de trânsito, como não ultrapassar em faixa contínua, por exemplo. Fique atento também às blitze que acontecem nas entradas da cidade e radares móveis e fixos nas rodovias. Se não tiver segurança em dirigir em estradas, não recomendamos viajar de carro para a Chapada Diamantina. Para quem é craque no trânsito, em rodovias e pista de terra, não haverá problemas. Se a intenção for alugar um carro para a viagem, prefira contratar o serviço em Salvador, onde o valor da diária é mais barato e há mais opções de veículos se comparado a Lençóis. Se quiser alugar em Lençóis, faça a reserva com bastante antecedência para não correr o risco de ficar sem carro. 

Lencois

Vale dizer que a Chapada Diamantina é segura, mas cuidados básicos devem ser tomados. Evite deixar o veículo aberto e com malas e bens de valor à mostra, principalmente se for fazer trilhas de vários dias. Procure uma pousada de confiança para deixar as malas, se for o caso de o carro ficar estacionado por vários dias no mesmo lugar.

Para quem está de carro, não há limites entre as opções de hospedagem. Vale escolher mais de uma base para ficar na Chapada Diamantina, especialmente porque isso evitará longos trajetos. Lençóis é a cidade que oferece mais infraestrutura e também diversas opções de passeios, mas o Vale do Capão, Mucugê, Andaraí e Igatu também são boas opções para economizar no deslocamento entre as atrações. 

Chapada Diamantina com agência de turismo

Apesar de ser mais barato viajar em carro próprio pela Chapada Diamantina, nem sempre essa é a maneira mais prática. Quem procura praticidade e não quer se preocupar com nada deve optar pelo serviço das agências de turismo. As agências da Chapada Diamantina são muito eficientes e bem organizadas. Elas estão aptas a montarem roteiros de vários dias — muitos com pernoites em outras cidades para diminuir o tempo de deslocamento — e certamente são a melhor pedida para quem não quer se preocupar. Você precisará apenas decidir quais passeios fazer e a agência se encarregará de todo o resto. Você terá um guia, carro, alimentação para os passeios e não precisará se preocupar com deslocamento, mapas, trilhas e nem mesmo alimentação. Tudo muito prático! Dá até para fechar pacotes completos, com hospedagem. Estresse zero e garantia de serviço bem feito. 

Os passeios com as agências podem também ser contratados individualmente, ou seja, você escolherá a cada dia um novo passeio ou uma nova agência. A desvantagem, nesse caso, é não ter a certeza de conseguir grupo para roteiros menos comuns, como a Cachoeira da Fumacinha, por exemplo. Caso queira fazer trilhas mais complexas, entre em contato com a agência antes da viagem para tentar se encaixar em um grupo e já viajar com tudo pronto. O custo será mais alto, mas haverá a certeza de ter o roteiro cumprido, independente do número de turistas disponíveis para montar o grupo.

Vale-do-pati

Quem optar pelos serviços de agência de turismo na Chapada Diamantina tem como melhor opção de base a cidade de Lençóis, de onde saem passeios para todas as regiões. Uma boa pedida é escolher roteiros mais longos e que incluam hospedagem em outras bases, como o Vale do Capão, Mucugê e Igatu. O custo do tour será mais alto, mas o tempo de deslocamento bem menor irá compensar a diferença de valor. O passeio rende mais e cansa muito menos. Outra opção é fazer, a partir de Lençóis, os passeios com deslocamentos menores e depois mudar de base para o Vale do Capão, que tem acesso por transporte público a partir de Lençóis. Veja mais sobre como chegar às principais cidades base da Chapada Diamantina

Lista de agências para realização de passeios na Chapada Diamantina

Chapada Diamantina por conta própria e sem carro

Quem viaja para a Chapada Diamantina sem carro e não deseja contratar uma agência terá enorme dificuldade para se locomover, mesmo entre as principais cidades bases. O transporte público na região é extremamente precário e será praticamente impossível se locomover para as atrações de ônibus ou outro transporte público. Apenas o táxi será uma alternativa viável e o custo poderá ser bem alto. Ainda assim, alguns passeios podem ser feitos sem carro, como é o caso do Parque da Muritiba, em Lençóis. Carona é sempre uma opção, especialmente para quem faz amigos com facilidade. Entretanto, não é bom contar com isso para cumprir uma rota já estabelecida. Vale também encontrar um grupo que esteja com carro sem lotação máxima e pedir para dividir o valor do aluguel do veículo e o combustível. Tudo é uma questão de conversa.

Morro-do-pai-inacio

Vale lembrar que muitos passeios da Chapada Diamantina exigem a presença de um guia ou a contratação é altamente recomendável. Será impossível escapar de contratar um serviço durante toda a viagem, por isso reserve uma quantia em dinheiro para esses casos.

Veja mais sobre como chegar às principais cidades base da Chapada Diamantina

Contatos das associações de condutores e guias na Chapada Diamantina

  • ACVL - Lençóis - (75) 3334-1425
  • ACVVC - Vale do Capão - (75) 3344-1087
  • ACVM - Mucugê - (75) 98292-8121
  • ACVIB - Ibicoara - (75) 3413-2048
  • ACVA - Andaraí - (75) 98128-8441
  • ACVI - Itaetê - (75) 99124-4682

Tudo que você precisa saber sobre Chapada Diamantina!

Esse texto sobre Como se locomover na Chapada Diamantina faz parte do guia de Chapada Diamantina no Melhores Destinos

Comentários para Como se locomover na Chapada Diamantina

Para comentar você precisa se cadastrar ou fazer login.