Dicas de Paris

Visto

Cidadãos brasileiros não precisam de visto de turismo para permanência de até 90 dias na França e em outros países-membros do Acordo Schengen (Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Países Baixos, Polônia, Portugal, República Checa, Suécia e Suíça). Contudo, no momento do desembarque, serão exigidos passaporte válido e outros comprovantes, como passagem de ida e volta, comprovante de recursos financeiros, seguro-saúde válido em todos os países-membros do acordo, entre outros.

Chegue cedo

Você provavelmente encontrará uma cidade bastante cheia, especialmente no verão. A fim de evitar certos aborrecimentos, como as enormes filas que se formam na porta de alguns pontos turísticos, por exemplo, é bom chegar cedo ou adquirir ingressos com certa antecedência. Aos que forem a Paris com o intuito de experimentar a deliciosa culinária francesa, também recomenda-se efetuar reservas previamente (muitos estabelecimentos o fazem por meio de websites, e-mail ou telefone).

Segurança

Em geral, a capital francesa é segura, porém golpes e pequenos furtos são cada vez mais frequentes, especialmente nos pontos turísticos mais badalados, como a praça em frente ao Hôtel de Ville (prefeitura de Paris), Basílica do Sagrado Coração e no metrô.

Fique atento e não deixe a carteira à mostra ou a bolsa aberta, pois os assaltantes — extremamente experientes — podem roubá-lo da maneira mais sutil possível. Outro alerta na capital francesa é em relação a golpes como o do abaixo-assinado, do anel, entre outros.

Golpes

Nos últimos anos, golpes aplicados em turistas têm acontecido com mais frequência na Cidade Luz. Há o golpe do abaixo-assinado, no qual uma pessoa, ou um grupo, aborda o turista pedindo a assinatura, seguida de uma contribuição em dinheiro. No momento em que a negociação acontece, o golpista aproveita para fazer uma limpa nos bolsos e na mochila do turista. Tudo de maneira sutil.

Já no golpe do anel, o golpista "encontra" um anel e oferece-o ao turista alegando que aquele é um objeto valioso (muitas vezes já colocando o anel do dedo da pessoa, sem a mínima cerimônia). Depois disso, vem a cobrança e, em alguns casos, ameaças, caso a pessoa não queira dar o dinheiro.

O que fazer então?

A melhor tática para evitar os frequentes golpes nas ruas de Paris é não dar confiança a estranhos. Sempre que alguém se aproximar de você com segundas intenções, cheio de assunto ou oferecendo algo, diga a palavra "não" em alto e bom tom e saia de perto da pessoa. 

No restaurante 

A verdade é que não existem regras muito claras em relação a gorjetas. Alguns restaurantes já cobram um percentual na própria conta, posteriormente repassado ao prestador de serviço.

Contudo, de acordo com o site Fodor's, é gentil deixar algo entre 1 e 3 euros em restaurantes informais ou 5% do valor total da conta em estabelecimentos mais refinados. Apesar disso, a decisão de deixar ou não a gorjeta é sempre do cliente.

  • Consulado-geral do Brasil em Paris

    Nota:  de 10 (0)

    O número de telefone do Consulado, para casos de emergência (acidentes, prisões, mortes, entre outros), é o 06 80 12 32 34. Uma série de informações importantes estão à disposição na página do órgão na internet.

    Atenção! O consulado não fornece...

  • Embaixada da França no Brasil

    Nota:  de 10 (0)

    Serviços consulares e vistos precisam ser agendados por meio do website. O horário de abertura do consulado ao público é das 8h30 às 11h30 (e com hora marcada, fora desse horário). Mais informações podem ser obtidas no site da Embaixada.

Tudo que você precisa saber sobre Paris!

Esse texto sobre Dicas de Paris faz parte do guia de Paris no Melhores Destinos

Comentários para Dicas de Paris

  • Missing Rodrigo Gonzalez há 6 anos

    Ainda que segura, a cidade é conhecida por golpes e batedores de carteira. Sobre os batedores a jornalista já descreveu, mas os golpes são os mais diversos. Um que "aconteceu" comigo por diversas vezes é assim: estou caminhando, ou olhando uma vitrine, ou algo que me prenda a atenção e aparece alguem do nada e me mostra uma aliança. Não é uma aliança comum, é um bambolê dourado enoooorme. Diz que acabou de achar, "se não é minha...". Se você entrar na conversa ele dirá que não quer a aliança e que na verdade está precisando de uma grana, que tem problemas de monte etc etc etc. Vai te oferecer por algum valor... mas claro que o tal anel é falso... ;) Se comprei alguma? Não... a partir da quarta tentativa eu já respondia rindo, gargalhando em alto e bom som... o (a) picareta ficava todo(a) desconcertado(a). Existe ainda ciganas que praguejerão às suas negativas de ler mão, o mestre/guru que tenta vender uma pedrinha e por ai vai...

  • Missing Jose Renato há mais de 4 anos

    A dica que dou é comprar o Paris Museum Pass, ele é vendido em um monte de lugares. Tem pra 2, 4 e 6 dias. Com isso você fura fila em um monte de lugares ver a lista no site deles (pelo que me lembro um dos lugares que não é aceito é a Torre Eiffel). Além disso todo primeiro domingo do mês os museus tem entrada gratuita.

Para comentar você precisa se cadastrar ou fazer login.