Melhores Destinos
Nova Zelândia
Monique Renne Repórter fotográfica. Com um mundo inteiro a ser descoberto.

Pontos turísticos da Nova Zelândia

A Nova Zelândia parece ter sido desenhada especialmente para o turismo. Cada cantinho do país é uma atração e tanto a Ilha Sul (South Island) quanto a Ilha Norte (North Island) oferecem excelente infraestrutura para receber os viajantes. Não importa quanto tempo você fique por lá, sempre haverá mais a ser descoberto, seja uma nova trilha, uma praia desconhecida, um lago não visto ou uma montanha ainda não conquistada. E o melhor de tudo é que as estradas que ligam uma atração a outra também são atrações, afinal, oferecem sempre paisagens espetaculares e merecem várias paradas para fotos. 

Para conhecer os principais pontos turísticos da Nova Zelândia, serão necessários, em média, vinte dias de viagem entre a Ilha Sul e a Ilha Norte. O ideal, para não fazer uma viagem corrida e poder investir em algumas trilhas, são trinta dias de viagem. Contudo, com dez dias já é possível ser bem feliz por lá! Com um voo tão longo e os preços das passagens um pouco salgados, o ideal é se organizar para ficar o máximo possível no país. 

Wellington

A viagem pela Nova Zelândia se divide entre a Ilha Norte e a Ilha Sul. E, por mais que pareça absurdo, as duas principais ilhas do país são muito diferentes uma da outra. Não ache que, porque conheceu a Ilha Norte, não será necessário ir à Ilha Sul. O ideal é dividir a estada entre as duas. Ao organizar uma viagem, veja atentamente as atrações que cada uma delas oferece para ter certeza do tempo de permanência necessário. Pela experiência que tivemos no país, a Ilha Sul exige mais tempo para ser percorrida. Uma boa conta para o roteiro é quinze dias para a Ilha Sul e dez dias para a Ilha Norte, ou doze dias para a Ilha Sul e sete dias para a Norte. Se tiver que priorizar uma das duas, priorize a Ilha Sul, onde estão as paisagens mais espetaculares. Para ajudar na organização da viagem, preparamos um post detalhado com sugestão de roteiro pela Ilha Norte e roteiro pela Ilha Sul. Dê uma olhadinha neles depois de conhecer os principais pontos turísticos de cada uma das ilhas. 

Glaciar-franz-josef

Ilha Norte

A Ilha Norte (North Island) é a mais populosa da Nova Zelândia e se destaca pelas maiores cidades do país: Auckland e Wellington. A Ilha Norte tem mais áreas urbanas, o que a torna bem diferente da Ilha Sul. Há várias cidades à beira das estradas e os principais pontos turísticos são quase sempre acessíveis por localidades onde há boa oferta de comércio, hotéis e restaurantes. As atrações da Ilha Norte não se resumem a paisagens naturais e parques nacionais. Na ilha, há um grande mix de atrações públicas e privadas, que vão dos estúdios de Hobbiton — onde foram gravadas cenas da saga O Senhor dos Anéis — até parques geotérmicos com atividade vulcânica, na cidade de Rotorua. Difícil será decidir por onde começar!

Wellington

As principais cidades da Ilha Norte são Auckland e Wellington. Auckland é a maior cidade do país e porta de entrada de quase todos os visitantes estrangeiros que passam pela Nova Zelândia. É um ótimo destino para se ambientar com o país e começar a viagem pelas duas ilhas. Já Wellington, de onde parte o ferry para a Ilha Sul, é uma deliciosa parada para quem procura uma cidade grande, porém descolada e despretensiosa. É um daqueles lugares onde dá vontade de sentar à mesa para tomar um café ou uma cerveja local e ficar de bobeira por muitos dias. Tanto Auckland quanto Wellington merecem uma visita, mesmo que de passagem.

Auckland 

Para quem busca diferentes paisagens, a Ilha Norte também irá agradar! De praias a vulcões, não faltará um belo cenário para foto. Para ver fenômenos naturais pouco familiares aos brasileiros, comece por Rotorua e o Lago Taupo. As duas regiões são marcadas por intensa atividade geotérmica — resultado de vulcões — e oferecem parques com gêiseres, lama borbulhante, água fervente e piscinas de enxofre. Além dos parques, vale experimentar os fenômenos naturais também em spas, piscinas e rios com água aquecida naturalmente. Uma delícia! De quebra, ainda dá para curtir trilhas à beira de cenários como a Huka Falls. Vale dizer que em Rotorua e Taupo a cultura Maori é bastante presente. Aproveite para conhecer mais sobre a população nativa da Nova Zelândia e entender a formação do país.

Rotorua-e-os-parques-de-atividade-geotermica 

Cenário que também causa estranheza e encantamento entre os brasileiros e turistas de todo o mundo são as cavernas de Waitomo, onde os vermes luminosos — chamados de glowworms — colorem de azul o interior das formações rochosas. Para percorrer essas cavernas, vale ir a pé, de barco, rafting e até praticando rappel. O importante é não perder a chance de ver as cavernas iluminadas como se fosse uma noite de Natal.

Waitomo-e-as-cavernas-de-waitomo 

Quem está em busca atrativos naturais e não abre mão de percorrer algumas trilhas não pode deixar de conhecer o Tongariro National Park, onde está uma das mais famosas caminhadas de um dia da Nova Zelândia. A Tongariro Alpine Crossing agrada tanto pelo desafio físico quanto pelas paisagens, que incluem cenários com lava petrificada, lagos em tom de verde esmeralda e vista para vulcões. É a trilha mais procurada na Ilha Norte e uma boa pedida para aventura na medida certa.

Lago-taupo-e-tongariro-national-park 

Se a sua preferência for por praias, não há com o que se preocupar. A Ilha Norte tem um grande litoral e cenários dignos de cinema. A Península de Coromandel, por exemplo, foi palco de cenas da saga As Crônicas de Nárnia. O filme tornou ainda mais famosa a praia de Cathedral Cove, onde uma passagem pela rocha lembra o formato de uma catedral. A trilha que chega à praia é um ótimo passeio e leva a outras belas faixas de areia. Aproveite o dia para relaxar! Na mesma região, está também Hot Water Beach, onde é possível cavar na areia uma piscininha de onde brota água quente, efeito da atividade geotérmica e diversão garantida. Outras regiões que agradam aos amantes do mar são Bay of Island, no extremo norte; as ilhas e praias nos arredores de Auckland, como Piha Beach; e Bay of Plenty, na Costa Leste, onde está White Island e um dos vulcões mais acessíveis do mundo. 

Coromandel-e-a-cathedral-cove 

A Ilha Norte tem diversas atrações, mas sabemos que há quem viaje até a Nova Zelândia especialmente para conhecer as locações que fizeram parte dos filmes das trilogias O Senhor dos Anéis e O Hobbit. Se você faz a linha fã do Tolkien, certamente terá como visita obrigatória Matamata, onde está o Hobbiton Movie Set, cenário que recria o Condado dos Hobbits e que serviu de palco para diversas cenas dos filmes. Visitar Hobbiton é como se sentir na Terra Média. Difícil não se emocionar ao avistar o Bolsão (casa do Bilbo) ou participar de um banquete típico à moda dos Hobbits no Green Dragon. Vale cada minuto da experiência! Outro lugar que não pode deixar de ser visitado por quem é fã é o Weta Cave Studios, em Wellington. O lugar guarda preciosidades, como a armadura de Sauron, espadas usadas nos filmes e alguns pés de Hobbits. Imperdível para quem é apaixonado pelo Senhor dos Anéis.

Matamata-e-hobbiton-movie-set 

Os pontos turísticos acima são os mais procurados da Ilha Norte, mas é claro que em todas as cidades há diversas atrações. Para conhecer todas as nossas sugestões na Ilha Norte, serão necessários de dez a quinze dias de viagem. Acesse os posts de cada uma delas para ver opções de passeios, outros pontos turísticos, como chegar a cada uma das regiões e onde se hospedar. No nosso post com o roteiro pela Ilha Norte você terá detalhado passo a passo da viagem. Para ver mais dicas sobre o dia a dia da viagem, acesse o post sobre o que fazer na Nova Zelândia.

Ilha Sul

A Ilha Sul (South Island) da Nova Zelândia tem como principais atrativos as grandiosas paisagens que se formam em meio às montanhas e lagos que permeiam a ilha. É um tanto quanto absurdo imaginar que duas ilhas tão próximas possam ter relevos e cenários tão distintos, mas a verdade é que grande parte daquelas imagens espetaculares que tornaram a Nova Zelândia famosa estão na Ilha Sul. Se o seu sonho, ao viajar para o país, é percorrer trilhas, ver lagos de tom azul turquesa, conhecer fiordes, hospedar-se diante de alpes nevados e praticar esportes de aventura, a Ilha Sul é o seu lugar. Diferente da Ilha Norte, que é permeada por cidades, a Ilha Sul dá aos visitantes a sensação frequente de isolamento. Pouco mais de 20% da população neozelandesa vive na Ilha Sul, que é tomada por parques nacionais e abundantes cenários naturais. É o destino perfeito para quem gosta de se aventurar.

Glaciar-franz-josef

As principais cidades da Ilha Sul são Christchurch e Queenstown. As duas são portas de entrada para quem embarca de avião a partir da Ilha Norte. Já quem opta pelo trajeto de ferry entre as duas ilhas terá como porto de chegada a cidade de Picton — na região de Marlborough  no extremo sul da Ilha Sul. Christchurch é a maior cidade da Ilha Sul e boa base para alugar um carro, motorhome e campervan para iniciar a viagem pelas estradas. Já Queenstown atrai os visitantes não pelo tamanho (é até uma cidade bem pequena), mas sim pela grande oferta de atrações e esportes de aventura, como bungee jump, parapente, rafting e saltos de paraquedas. Para completar, Queenstown ainda oferece um lindo lago para passeios e é uma cidade encantadora. A passagem por centros urbanos será coisa bem rara na Ilha Sul e o melhor é se acostumar a pequenos vilarejos que servem de base a boa parte das atrações e parques nacionais que permeiam a região.

Queenstown

Para começar a viajar pela Ilha Sul, é preciso saber que as estradas são sempre lindas e desafiadoras (haja subida), o que torna a viagem bem mais lenta se comparada à Ilha Norte. Paradinhas para fotos e observar a paisagem é coisa corriqueira durante o percurso. Acostume-se a atrasos e calcule sempre um tempo de sobra para não perder a hora de nenhum passeio ou chegar tarde demais a alguma trilha. 

Grande parte das atrações da Ilha Sul está vinculada a parques nacionais e têm entrada gratuita, o que torna a viagem pela Ilha Sul bastante em conta. Para ver os pontos turísticos imperdíveis, comece pelo Glaciar Fox e Glaciar Franz Josef, os dois no Westland Tai Poutini National Park. Seguindo rumo ao norte, bem pertinho dos glaciais, vale conhecer o Paparoa National Park e as Pancake Rocks de Punakaiki, formações rochosas moldadas pela ação do vento e do mar e que ganharam formatos incríveis de panquecas. Uma beleza de ser visto e bem facinho de ser visitado. Se o roteiro estiver com dias de sobra, não deixe de seguir rumo ao extremo norte da Ilha Sul, onde estão as belas praias do Abel Tasman National Park. 

Glaciar-franz-josef

Seguindo rumo ao sul, pela Costa Oeste, visite o Aoraki Mount Cook National Park, onde está a maior montanha da Nova Zelândia: o Mount Cook. O parque é repleto de lindas trilhas à beira das montanhas que formam os Alpes do Sul e, de quebra, ainda conta com o Glaciar Tasman e o intenso azul do Lago Pukaki para dar ainda mais beleza à paisagem. Colado ao Mount Cook, o Mount Aspiring National Park divide a mesma cadeia de montanhas e oferece uma das trilhas mais procuradas do país: a Routeburn Track. Além da trilha (que leva até quatro dias para ser percorrida por completo), quem visita o Mount Aspiring pode também curtir as Blue Pools, onde o tom de azul da água atrai os turistas que buscam lindas paisagens e uma trilha bem fácil de ser percorrida. 

Aoraki-mount-cook-national-park-e-lake-pukaki

Descendo além do Mount Cook e do Mount Aspiring, o destaque da Costa Oeste fica por conta do Fiordland National Park, onde estão os famosos fiordes neozelandeses, entre eles o Milford Sound (o mais popular entre os turistas) e o Doubtful Sound. Os dois podem ser visitados em cruzeiros de barco, mas apenas o Milford Sound pode ser acessado também de carro. O Fiordland National Park se destaca também pela Milford Track e Kepler Track, duas das mais belas trilhas do país, que permitem ver a imensidão dos fiordes por ângulos bem diferentes dos passeios de barco.

Fiordland-com-milford-sound-e-doubtful-sound

Se estiver com tempo de sobra, desça até o extremo sul e conheça a Stewart Island, a ilha mais ao sul do país. Faça um dos tours de barco com saída de Invercargill e vá em busca da natureza na região, onde existem kiwis vivendo em território livre. O pernoite na ilha garante ter tempo para conhecer as praias, fazer trilhas e alguns passeios de barco.

De volta ao centro da Ilha Sul, não deixe de conhecer alguns dos mais belos lagos do país. Vale fazer paradas no Lago Pukaki, à beira do Mount Cook; no Lago Matheson, a caminho dos glaciares; no Lago Tekapo, onde o Mount John Observatory oferece ótimo passeio para observação do céu e a Igreja do Bom Pastor concede um lindo cenário para fotos; no Lago Wakatipu, que serve de base a várias atrações da cidade de Queenstown; no Lago Wanaka, onde está a incrivelmente fotogênica Wanaka Tree; e no Lago Hawea, vizinho a Wanaka. Em todos os lindos lagos neozelandeses, é possível fazer passeios de barco, praticar esportes, fazer trilhas e curtir bares e restaurantes com linda vista. Aproveite cada porção de água da Ilha Sul.

Lago-tekapo

Assim como os lagos merecem paradas para passeios, algumas cidades da Ilha Sul são tão charmosas que atraem os visitantes simplesmente pelo delicioso passeio, sem grandes obrigações a cumprir. É o caso de Arrowtown, com o outono mais famoso da Nova Zelândia; Wanaka, com a árvore mais fotogênica do país (busque no Google por “That Wanaka Tree” e veja se estamos exagerando); Glenorchy, com a encantadora estrada a partir de Queenstown; e Picton, na região vinicultora de Marlrborough, onde deliciosos restaurantes ajudam a passar o tempo entre taças de vinho e frutos do mar. Sem esquecer, claro, das movimentadas Queenstown e Christchurch.

Wanaka-com-lake-hawea-e-lake-wanaka

Ao viajar pela Ilha Sul, tenha sempre em mente que cada quilômetro da estrada é um ponto turístico e que cada paradinha (seja em cidade, lago ou parque nacional) será maravilhosa. Viaje com calma e curta cada momento. O ritmo neozelandês é um convite a relaxar diante de tanta beleza. Aproveite como um kiwi!

Veja mais detalhes, atrações e passeios de cada um dos principais pontos turísticos da Nova Zelândia: